ATENÇÃO!
A versão seu navegador é insegura!
Este Site, usa recursos avançados de programação, que seu navegador, por ser muito antigo, não consegue processar corretamente.
Para uma melhor experiência, e segurança, siga as recomendações abaixo.

Por favor, atualize seu navegador, ou instale as versões a seguir:

Google Chrome (recomendado) | Firefox | Internet Explorer 10 ou 11

Clique Aqui, e veja porque é importante manter seu navegador sempre atualizado

Minha ContaCadastrar EmpresaCadastrar Classificado

Saiba como votou cada deputado na cassação de Eduardo Cunha - 14/06/2016


O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar aprovou nesta terça-feira (14), por 11 votos a favor e 9 contra, o relatório do deputado Marcos Rogério (DEM-RO) que pede a cassação do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) por quebra de decoro parlamentar. A reunião do Conselho de Ética concluiu nesta tarde, depois de oito meses, o processo contra o presidente afastado da Câmara. 
Agora o processo precisa ser analisado em plenário. Para que Cunha tenha o mandato cassado, é preciso pelo menos 257 votos, a maioria absoluta dos 513 deputados.
Saiba como votaram os titulares por bloco:
PMDB/PP/PTB/DEM/PRB/SD/PSC/PHS/PTN/PMN/PRP/PSDC/PEN/PRTB
Alberto Filho PMDB/MA- Não
André Fufuca PP/MA- Não
Mauro Lopes PMDB/MG- Não
Nelson Meurer PP/PR- Não
Paulo Azi DEM/BA- Sim
Sérgio Moraes PTB/RS- Não
Tia Eron PRB/BA- Sim
Washington Reis PMDB/RJ- Não
Wladimir Costa SD/PA- Sim
RELATOR Marcos Rogério DEM/RO- Sim
PT/PSD/PR/PROS/PCdoB
João Carlos Bacelar PR/BA- Não
Laerte Bessa PR/DF- Não
Leo de Brito PT/AC- Sim
Valmir Prascidelli PT/SP- Sim
Wellington Roberto PR/PB- Não
Zé Geraldo PT/PA- Sim
PSDB/PSB/PPS/PV
Betinho Gomes PSDB/PE- Sim
Júlio Delgado PSB/MG- Sim
Nelson Marchezan Junior PSDB/RS- Sim
Sandro Alex PPS-PR- Sim
O parecer pela cassação usa o artigo do Código de Ética que pune a omissão de "informação relevante" à Câmara.
O presidente do conselho de ética, José Carlos Araújo (PR-BA), fez a chamada nominal dos deputados,  por bloco e em ordem alfabética no bloco. Não foi necessário que os suplentes votassem. 
O peemedebista foi acusado de ter mentido à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, em março de 2015, ao declarar não possuir contas no exterior e não ter participado do esquema de corrupção investigado na estatal pela Operação Lava Jato.

Autor: Portal EBC - http://www.ebc.com.br

Newsletters
Contatos
Jornal Infoleste
Rua Rio da Bagagem,78 - Vila Matilde - Zona Leste - SP
Tel.: (11) 2653-1806 
e-mail: atendimento@infoleste.com.br