“Passaporte da Vacina” causa polêmica na capital

24 de agosto de 20213140
Após prefeito Ricardo Nunes (MDB), afirmar que o documento seria obrigatório para as pessoas acessarem bares, restaurantes e shoppings, PMSP recua e muda para “recomendação”

A Prefeitura de São Paulo recuou em relação à obrigatoriedade do passaporte da vacina aos clientes de estabelecimentos comerciais da capital paulista.
Após o prefeito da cidade, Ricardo Nunes (MDB), afirmar que o documento seria obrigatório para as pessoas acessarem bares, restaurantes, shoppings, teatros, cinemas, etc., o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, disse que o passaporte será apenas “recomendável” a alguns estabelecimentos e obrigatório em outros (restaurantes com eventos e teatros, por exemplo).

Passaporte

Mais cedo nesta segunda-feira, a Prefeitura de São Paulo havia anunciado que o passaporte de vacinação seria obrigatório para as pessoas entrarem em estabelecimentos da cidade. De acordo com a administração municipal, o documento seria exigido já nas próximas semanas.

Críticas

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) foi uma das organizaçõess que se colocou contra a medida. De acordo com Paulo Solmucci, presidente da entidade, a nova regra pode aumentar filas e aglomerações, além de limitar o acesso aos clientes de outros estados que estão com a imunização mais lenta, aos que não podem se vacinar por condições médicas e aos que não possuem celulares ou internet em seus aparelhos, já que o “passaporte da vacina” será via aplicativo.
“É um conjunto de insensatez que, ao nosso ver, só tumultua o ambiente. Teria que haver mais diálogo, preparação e avaliação da viabilidade”, afirma Solmucci em nota divulgada pela Abrasel.
“O passaporte da vacina para bares e restaurantes só gera aglomerações e falsa sensação de segurança. Nada garante que alguém com temperatura normal não está transmitindo, nem quem tomou a primeira dose. O fundamental é manter os protocolos de prevenção”, avaliou.
“Imagina que alguém que não foi vacinado entre e sente no bar. O dono ou o gerente terão poder polícia para retirá-lo dali? Ou deverão ligar para a PM? Ou, se não conseguir tirá-lo da mesa, serão multados?”, questionou Solmucci.

Grandes eventos só poderão permitir a entrada de pessoas imunizadas

A Prefeitura de São Paulo informou que deva ser obrigatória a exigência do comprovante de vacinação para frequência de pessoas em grandes eventos, como feiras, congressos e espetáculos; e facultativa para locais de fluxo e permanência eventual de pessoas, como bares, restaurantes e estabelecimentos comerciais. Assim que o protocolo estiver concluído, será amplamente divulgado.


Veja mais matérias em nosso portal

Alexandre Bueno

Jornalista/Editor Geral


Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

16 − nove =


Sobre


O jornal Infoleste surgiu em Maio de 2012, com o propósito de agregar e fortalecer a imprensa regional e, ao mesmo tempo, ser um canal entre a comunidade da Zona Leste e os órgãos públicos, levando até eles as reivindicações da população e trazendo as respostas dos órgãos competentes.


Rua Rio da Bagagem, 78 – Vila Matilde – São Paulo – SP

(11) 2654-0983

atendimento@infoleste.com.br