COVID-19: Perda de Olfato, saiba como resolver isso

14 de janeiro de 20218250
Cerca de 65% das pessoas infectadas com o novo coronavírus experimentam alteração no paladar ou no olfato, que tende a ser repentina e severa

Na Alemanha, o virologista Hendrik Streeck, da Universidade de Bonn, relatou, em entrevista ao jornal Frankfurter Allgemeine Zeitung, que cerca de dois terços dos infectados com coronavírus examinados por sua equipe reclamaram de perda temporária de olfato e paladar. “A coisa chegou ao ponto de uma mãe não conseguir sentir o cheiro da fralda cheia de seu bebê. Outros não conseguiam mais sentir o cheiro de seu shampoo, e a comida começou a ficar insípida”, relatou.

Pesquisa mostra que falta de olfato pode ser principal sintoma da Covid-19. Foto: Andrii Vodolazhskyi/ Shutterstock

Segundo um estudo da University College London, a perda do olfato ou do paladar podem ser um indício melhor da Covid-19.
A pesquisa foi publicada na revista Plos Medicine e contou com 590 voluntários que relataram a falta de um dos sentidos. Desses, 567 foram testados para anticorpos, com 442 tiveram um resultado positivo. Além disso, aqueles que com perda de olfato tinham quase três vezes mais probabilidade de ter as células de defesa do que os que perderam o paladar.

“Nossas descobertas sugerem que as pessoas que percebem uma perda na capacidade de perceber odores domésticos como alho, café e perfumes devem se auto isolar e passar por testes PCR”, finalizou a pesquisadora.

Aprenda a terapia caseira para voltar a sentir cheiro depois do COVID-19:

Ficar sem sentir gosto, sem sentir o cheiro das coisas ou perceber odores estranhos, realmente é bem ruim. A boa noticia é que tem uma terapia simples para fazer em casa para estimular e acelerar a volta das funções normais, ela é conhecida como “treinamento olfatório”.

Antes de conferir o passo a passo, Dr. Alexandre Colombini ressalta que a reabilitação precisa ser realizada duas vezes ao dia, por pelo menos três meses.

Treinamento Olfatório:

– Separe alguns fracos de vidro para introduzir os alimentos abaixo citados;
– Em cada recipiente separado, coloque os produtos: pó de café, mel, cravo, vinagre de vinho tinto, essência de baunilha, suco concentrado de tangerino e pasta de dente. O ideal é que a pessoa tenha seu próprio kit, caso tenham mais pacientes na mesma família/casa.
– Duas vezes ao dia, por pelo menos três meses, inale cada porção por 10 segundo com intervalo de 15 segundos.

“Na maioria dos casos, a ausência de olfato nos pacientes tem durado, em geral, de quatro a seis semanas, infelizmente. Por isso, é importante trabalhar e estimular a capacidade olfatória e mental. É válido lembrar que este treinamento não substitui a consulta médica, pois apesar de menos comum, gripes, resfriados, doenças como rinites e sinusites crônicas e até neurológicas também podem afetar o nervo olfatório”, explica o otorrinolaringologista.

Segundo Dr. Alexandre, outro sintoma da COVID- 19 é distorção do olfato denominado Parosmia, quando o paciente sente cheiro de uma coisa boa e interpreta como o odor ruim ou ao contrário. Fique alerta.

 

Veja mais matérias em nosso portal

Alexandre Bueno

Jornalista/Editor Geral


Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *


Sobre


O jornal Infoleste surgiu em Maio de 2012, com o propósito de agregar e fortalecer a imprensa regional e, ao mesmo tempo, ser um canal entre a comunidade da Zona Leste e os órgãos públicos, levando até eles as reivindicações da população e trazendo as respostas dos órgãos competentes.


Rua Rio da Bagagem, 78 – Vila Matilde – São Paulo – SP

(11) 2654-0983

atendimento@infoleste.com.br